Skip to content

SFT MCHN

remix & mashup blog

Tag Archives: New Order

Não o estilo, mas a banda/projeto.

Johnny Marr, guitarrista dos Smiths de um lado, e Bernard Sumner, vocalista, tecladista, guitarrista e co-produtor do New Order do outro.

Participações esporádicas de Neil Tennant, vocalista do Pet Shop Boys.

O legal do som da banda é justamente a mistura de todas as referências dessas 3 bandas.

Mais dos Smiths e muito mais do New Order do que do Pet Shop Boys.

Os Smiths tornam-se presentes nas pegadas de guitarra obviamente, mas também num “lirismo musical” muito legal que combina muito com o bom gosto do Bernard Sumner em achar timbres e criar sequencias de teclados que acabam virando riffs como alguns riffs de guitarra dos mais famosos do mundo.

Vejam aqui 3 que separei pela relevância de cada uma delas.

A primeira foi a primeira a fazer sucesso.

De 1989, Getting away with it.

Arrebentou. Mesmo. Foi foda. Todo mundo amava essa música.

O riff de piano na música toda e o arranjo de cordas (de verdade) no final são de quebrar a bunda.

Depois uma outra de um segundo CD, Get the message.

Aí vc consegue perceber bem as influências de cada um deles na musica. Um pouco da guitarra do Marr, as bases do Sumner, mas tudo meio misturado, cada um palpitando no trabalho do outro. O resultado é esse. Tem vocais da Denise Johnson, back do Primal Scream rolando a música toda.

E prá fechar uma meio desconhecida, mas chegou até a tocar aqui no Brasil.

Trilha sonora do filme/animação Cool World, com participações de Kim Basinger, Brad Pitt e mais um monte de gente cool da época (o filme).

A música é essa. Mais com cara de Pet Shop Boys, não só pelo vocal, mas pela timbragem dos teclados.

Disappointed.

Tudo de bom,

Billy.

PS_Esse som foi um dos grandes “faz cabeça” da minha vida. Ouço até hoje e ainda acho interessante. Lógico que a produção toda ficou ultrapassada, mas foi um marco de época forte.

Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

Há 30 anos atrás, nesse dia 18 de Maio, Ian Curtis subia numa cadeira com uma corda no pescoço e ficaria lá pendurado até sua esposa achar o corpo no dia seguinte.

Ele tinha epilepsia, uma série de transtornos mentais e psicológicos, problemas de relacionamento, e uma das cabeças mais incríveis e geniais de sua época.

Deixou um legado de letras extremamente interessantes, cortantes, poéticas e de uma beleza pouco vista no pós-punk inglês.

Prá entender Joy Division tem que ouvir.

Prá ouvir tem que gostar.

Cria-se um paradoxo.

Tem que ter paciência, mas aos poucos vc percebe que muito do que ouvimos hoje em dia tem muito da fonte original.

É a banda que eu mais gosto. De todos os tempos. Aprendi a ouvir e a gostar nos meus 14 anos. Não parei até hoje. Tenho tudo q vc possa imaginar sobre eles, musicalmente falando.

E se não fosse o suicídio de Ian Curtis não teríamos New Order. Simples assim.

Quer começar a entender Joy Division ?

Veja e ouça a mais famosa de todas, depois a mais bonita de todas (uma das) e uma das mais representativas de todas.

Love Will Tear us Apart

Atmosphere

Transmission

E mais uma de canja, Day of The Lords. Bacana de tocar, tensa, densa, nervosa.

Tudo de bom,

Billy.

PS_Legal ver todos os New Order mocinhos nos clipes.

PS2_Há 5 anos atrás, no dia 17, fiz um mini-especial do Joy Division no Programa ADD.

Ouça aqui uma passada rápida de algumas músicas bacanas deles.

Tudo de bom de novo.

Tags: , , , , , , , , , , ,

Para quem não estava acompanhando, o pessoal do Bad Lieutenant, atual banda do Bernard Sumner, abriu um concurso para qualquer um criar o novo clipe do single Twist of Fate, a melhor música dos caras (tem até um micro solo de baixo ao estilo do Peter Hook… certeza que ele tá puto). Você pode conferir os vídeos e o concurso aqui. Logo mais a gente vai conhecer quem venceu. Bacana.

@amrttn

Tags: , , , ,

Um dos maiores clássicos das pistas de todos os tempos foi/é Planet Rock.

Base chupinhada do Kraftwerk, raps por cima e a cabeça genial de Afrika Bambaataa por cima de tudo isso.

Dessa base nasceu o funk carioca, por exemplo.

Depois ainda criou músicas com participações de vários artistas/bandas como UB40, P.I.L. e outros.

Um mashup bacana é a música com Blue Monday do New Order.

Aí nos anos 90, exatamente em 1990, o Afrika Bambaataa caiu no dance total.

Just Get up and Dance foi sucesso das pistas de playbas por todo o Planeta.

Uma das primeiras músicas que usavam riff de saxofone (além da Infinity do Guru Josh)

Esse loop de bateria era um dos mais usados na época, não sei se vcs lembram…

Bom, agora temos uma versão mais atual da Just Get up and Dance.

Divirtam-se

Tudo de bom

Billy.

PS_Hoje em dia Afrika Bambaataa largou a Zulu Nation (mais ou menos) e é DJ mundo afora. Sets interessantes.

Tags: , , , , , , , , , ,

Album novo do trio nova-iorquino, no mínimo interessante.

Eles fazem o tão falado e pouco conhecido 8-bit pop, que é o resultado do uso de instrumentos eletrônicos muuuuuito velhos, videogames, emuladores de sons antigos e tudo mais da década passada que faça um som eletronicamente estranho e de má qualidade.

O resultado é uma mistura de MIDI japonês com efeitos de celular, mais uma pegada Mario Bros misturada com rock, guitarras e letras bacanas.

E o Depreciation Guild conseguiu sair um pouco da pecha de 8-bit prá entrar num pop mais alternativo e audível. Ainda se nota muita coisa eletronica tosca (de propósito), mas o geral te dá a impressão de uma banda como outra qualquer, como na música Crucify You, que tem a pegada instrumental mega New Order acústico.

O site deles está AQUI

E aqui ouvimos 3 músicas desse Spirit Youth.

My Chariot

Crucify You

White Moth

Tudo de bom,

Billy.

PS_Update – O pessoal da banda, me mandou email avisando que o disco Spirit Youth ainda não saiu, é um leak, e que não estará disponível para download gratuito.

Quem quiser saber mais sobre esse disco e como comprar, é só acessar o site da banda AQUI.

Tem inclusive um vinyl branco de 7″ que deve ser luxo !

Tudo de bom de novo,

Billy.

Tags: , , , , , , , , , ,